Quando levar meu bebê pela primeira vez ao Dentista?

242

Mesmo com um blog tão novinho tenho recebido mensagens de muitas mamães com dúvidas sobre diversos assuntos e sugestões de pauta. Um dos tópicos campeões foi a Odontopediatria. Pra atender a essa necessidade de vocês, convidei a Dra. Michele Ribeiro para tirar todas as nossas dúvidas sobre este assunto.

Se você ainda não levou seu filhote ao dentista, confira aqui a opinião da Dra. Michele sobre a fase ideal para iniciar as visitas a este profissional e como funciona a consulta:

“Uma dúvida muito frequente entre as mães é quando iniciar o acompanhamento da criança por um odontopediatra. O ideal é que a mãe, ainda gestante, procure um odontopediatra para receber informações sobre cárie, higiene e prevenção direcionadas ao bebê e a ela própria.

Infelizmente, de um modo geral, as gestantes não recebem essas orientações e não são informadas de que seu bebê pode ser acometido de cárie até seis meses após o “nascimento” dos primeiros dentes de leite. Normalmente, os primeiros dentes aparecem aos seis meses de idade e não é raro aos 12 meses pacientes apresentarem lesões de cárie. Isso significa que além da característica individual da criança que não foi analisada a tempo, os cuidados básicos de higiene oral do bebê não chegaram aos pais.

Nos casos em que a gestante não teve oportunidade de visitar o odontopediatra, geralmente, a orientação é que a criança seja levada ao especialista assim que “nascerem” os primeiros dentinhos, que na maioria das vezes são os quatro primeiros da frente (via de regra, surgem os dois dentes da arcada inferior e, depois, os dois dentes da arcada superior). Daí em diante, a frequência das visitas ao odontopediatra dependerá do risco que o paciente apresentar para desenvolver alguma doença, o que será determinado pelo profissional. No entanto, dos 12 aos 36 meses, o ideal é que haja consultas trimestrais para o acompanhamento do desenvolvimento da primeira dentição. No acompanhamento posterior, consultas semestrais são recomendadas para os pacientes controlados, quando serão feitas a profilaxia (limpeza profissional dos dentes) e aplicações de flúor. Além disso, esse é o período de tempo adequado para que qualquer início de cárie e/ou outro problema possam ser identificados e tratados mais facilmente.

Então, só devemos levar a criança ao dentista depois de os primeiros dentinhos já terem nascido?

Não necessariamente. Esta é a recomendação mais habitual, mas a consulta ao odontopediatra não depende desse fator. Na verdade, quando a consulta com esse especialista pode ser feita antes mesmo do surgimento dos primeiros dentes, os pais têm a oportunidade de receber importantes esclarecimentos. Entre outros exemplos, são comuns as dúvidas sobre o uso da mamadeira, da chupeta, do hábito de chupar o dedo, bem como a respeito dos futuros hábitos alimentares, de como realizar a higienização bucal antes e depois do nascimento dos dentes, quais tipos de escova e pasta de dente utilizar, etc.

Além de todas essas informações, que podem servir como prevenção para a perfeita saúde bucal da criança, a iniciativa de levá-la ao odontopediatra o mais cedo possível também resulta na vantagem de que desde bebê a criança vai se acostumando ao ambiente, aos profissionais e aos procedimentos de menor complexidade (que não envolvem anestesia e consultas longas). Se na primeira consulta a criança já apresenta uma cárie, ela terá que ser submetida à anestesia para fazer a obturação. Muitas vezes, a visita é tão tardia que a criança precisa tratar o canal ou até mesmo extrair o dente.

Sendo assim, é bom lembrar: para que a criança não sofra nem fique traumatizada, o melhor é prevenir!

Eu tenho um dentista de confiança há anos, posso levar meu filho a ele para dar uma olhadinha?

Qualquer dentista pode atender crianças, mas nem todos possuem conhecimento de técnicas e manejos psicológicos para realizar de uma forma que seja mais tranquila tanto para a criança como para os pais. A primeira impressão da criança ao ir ao dentista é que vai ficar e se realizada de forma errada, pode gerar traumas e medos que ficarão pra sempre. O relacionamento com o bebê será muito bom, se for realizado por profissional competente, que o envolva em ambiente carinhoso. A experiência da criança pode ser bem diferente da que seus pais tiveram.

Como vimos anteriormente, uma consulta odontopediátrica é bem diferente do que dar apenas uma “olhadinha”.  Além de todas as orientações, o odontopediatra faz com que a consulta seja agradável e simples para não causar pânico e nem traumas, fazendo o atendimento em ambientes atrativos que ajudam a criança a se sentir confiante e descontraída. Utilizamos vários recursos que envolvem a criança no atendimento e dão um toque lúdico a esse momento: músicas, livros, brinquedos, historinhas, vídeos, jogos, entre outros.

Procure sempre especialista em Odontopediatria, esse profissional saberá exatamente como conduzir a consulta e torná-la um encontro divertido para seu filho.

Até o próximo post!

Beijinhos”

Dra. Michele Ribeiro é especialista em Odontopediatria e Ortodontia