O que nossos bebês aprendem na Creche?

783

E tem mais uma estreia por aqui hojeeee!!! Agora temos a Pedagoga (e Psicopedagoga) Joelma Jardim, que vai participar do blog todas as sextas-feiras falando sobre os processos de aprendizagem, dúvidas que temos com relação ao dia a dia das crianças na escola e dando dicas de atividades e tarefinhas pra tornar esses momentos cada vez mais prazerosos!

Eu precisei colocar a Manu muito cedo na escola (ela tinha só 7 meses) e desde o início procurei saber como tudo funcionava, horários, estrutura, atividades, etc. Me considero até muito chata com relação a isso, mas acho muito importante a escola e família terem um relacionamento baseado na sinceridade e confiança. Por isso resolvi convidar a Joelma, que é responsável por um trabalho maravilhoso, pra abordar por aqui os temas relacionados à educação.

Hoje ela vai tirar uma dúvida que eu tive logo de cara e que vejo muitos responsáveis ainda meio perdidos: Como nossos filhos tão pequenos aprendem na escola?

“A Educação Infantil é vista cada vez mais como uma das fases essenciais da aprendizagem.

Por definição, a escola é o lugar de transmissão de um patrimônio cultural. A Educação Infantil desde sempre é o acesso aos elementos da cultura, ou seja, o início de aquisição de conhecimentos. Contudo, isso não significa que se deve começar a ensinar números ou alfabeto aos bebês; mas que, compreendendo-se as fases de desenvolvimento da criança é possível oferecer um ambiente rico para a aprendizagem e permanente estímulo.

Exemplo claro, quando na convivência com livros e jornais, as crianças constroem um repertório de textos usados pela sociedade. Ao contarmos, ou mesmo quando lemos uma história para uma criança de 1 ano de idade, estamos alfabetizando.

Nos primeiros anos de idade, o mais importante para a criança é estar num ambiente seguro e afetivo, o que significa ter um ambiente emocionalmente equilibrado, sem fala e atitudes agressivas.

Afeto pode-se transmitir com um simples olhar, ou mesmo ouvindo o que a criança tem a dizer, dando-lhe atenção.

A forma de se relacionar com as pessoas é aprendida muito cedo. Portanto, o convívio é importantíssimo para o desenvolvimento e a escola proporciona isso.

As fases de desenvolvimento determinam como se deve trabalhar a aprendizagem. Aproximadamente até os 5 anos de idade, isso essencialmente ocorre com brincadeiras. Um exemplo são os brinquedos educativos, capazes de oferecer às crianças atividades que conduzem a determinadas aprendizagens.

Em suma, uma boa educação infantil oferece brincadeiras educativas adequadas às fases do desenvolvimento, além de um ambiente que favoreça o desenvolvimento seguro e feliz dos pequenos que ali estão.

O estimulo, a provocação do professor para promover o aprendizado das crianças na educação infantil, deve ser feito de maneira lúdica, programada e respeitando uma certa rotina que favoreça a segurança emocional do educando. A afetividade é a “disciplina” mais aplicada nessa fase, pois os elos de confiança entre escola e família se firmam a partir do momento que essa relação é estabelecida e reforçada no dia a dia.

Durante todo esse processo de socialização, desenvolvimento da oralidade, atividades coletivas, integração, a criança aprende que a leitura de “mundo” deve vir antes da leitura da escrita. A criança aprende brincando!”