Hora do desfralde: Seu filho já está preparado para usar o vaso sanitário?

266

Por Joelma Jardim

Qual é a melhor maneira para fazer o desfralde? A creche deve ajudar?

Essas são algumas dúvidas que surgem na cabeça dos pais quando a criança começa a crescer. Afinal, isso indica que ela já está dando os primeiros passos para ser mais independente.

Parece pouco, mas o ato de tirar as fraldas faz com que os pequenos comecem a conhecer o próprio corpo, uma vez que, eles iniciam o processo do controle dos esfíncteres, um enorme salto no desenvolvimento infantil.

Nesse momento, é importante que os adultos transmitam sentimentos positivos à criança, como confiança, autoestima e segurança. Ajudar nesse processo pode parecer tarefa difícil, mas torna-se mais fácil se os pais transmitirem segurança e confiança aos pequenos!

Com tranquilidade, todos os envolvidos nessa transição podem colaborar de maneira bastante positiva e funcional. O ambiente das creches precisa ser pensado e planejado para acolher as crianças e suas famílias, pois neste segmento da educação não é possível pensar em ações educativas saudáveis que não estabeleçam diálogos com todos os envolvidos nos percursos de vida da criança. É preciso manter uma certa dose de coerência e harmonia nos cuidados oferecidos à criança em casa e na creche. 

Esta premissa fica muito evidente quando pensamos, no momento do desfralde. Quando isto ocorre em comum acordo entre pais, escola e criança o processo tende a ser mais rápido e tranquilo, caso contrário, sabemos o quanto pode se tornar árduo e custoso para todos, principalmente para a criança que ora está de fralda, ora sem, sem saber como deve proceder. Os pais, em conjunto com a Creche, precisam ter paciência para enfrentar esse processo que envolve, sim, algumas escapadas dos xixis e dos cocôs. Aliás, é extremamente comum que muitas destas escapadas ocorram em um único dia, principalmente nos primeiros dias que a criança está sem a fralda descartável.

Algumas peças de roupas para as possíveis trocas devem ser separadas para que tudo ocorra de maneira natural. Vale lembrar que não existe uma duração de tempo pré-determinada para que o processo de retirada de fraldas se complete. Cada criança tem seu próprio ritmo de desenvolvimento, que deve ser totalmente respeitado.

A última etapa a ser cumprida é a retirada da fralda noturna. Só depois que a criança estiver bem adaptada ao novo hábito, durante o dia, é que o trabalho do desfraldar noturno deve começar. No início, será necessário que os pais acordem a criança à noite, para que ela vá ao banheiro, hábito este que gradualmente será deixado de lado, de acordo com o seu ritmo de desenvolvimento e aprendizado.

O mais importante em toda esta fase é acreditar no potencial da criança, ter paciência e compreensão, pois afinal, todos nós – pais educadores – também já fomos crianças.

Joelma Jardim é Pedagoga e Psicopedagoga